Discurso feito pela Dra Lidia Henninger na posse da conselheira superior, Dra. Thais Galache do CBHOF

Discurso feito pela Dra Lidia Henninger na posse da conselheira superior, Dra. Thais Galache do CBHOF

Como titular da cadeira 10 imortal do Colégio Brasileiro de Harmonização Orofacial (CBHOF) e como membro da comissão de Harmonização Orofacial do CRORJ. Tive a honra de discursar sobre os caminhos da HOF no Brasil na posse da conselheira superior Dra. Thais Galache do CBHOF.

Estou aqui para falar algumas palavras e algumas reflexões sobre os rumos da harmonização oficial no Brasil.

Antes disso, quero agradecer do fundo do meu coração ao nosso querido presidente, Dr Ricardo Helou por esse convite maravilhoso, de estar aqui e poder debater, conversar com os colegas a respeito de coisas tão relevantes na odontologia, como é a harmonização orofacial.

Como profissional da Hof, eu pessoalmente me sinto gratificada pelo crescimento e o interesse na investigação da Harmonização facial. Nunca se estudou tanto antes na odontologia como agora. Nós temos aí países desbravados, locais onde Cirurgiões-Dentistas nunca imaginavam ir. E estão hoje alcançando cada vez mais, um patamar mais alto.

Porém, para esse crescimento, é necessário que mantenhamos o foco na ética e na qualidade dos procedimentos realizados. Para isso, é fundamental que tenhamos Cirurgiões-Dentistas capacitados, com uma formação acadêmica e um treinamento Clínico preciso. Principalmente quando se fala em cirurgias avançadas.

Por quê? Porque nós podemos hoje fazer algumas cirurgias dentro da Hof outras ainda não podemos. Não significa que não somos capazes de fazer. Mas significa que temos que andar junto com o carro da Harmonização Orofacial, que cresce dia a dia, e caminha, e tem que caminhar passo a passo, não a passos largos como infelizmente temos visto.

É preciso que os profissionais que desejam ingressar nessa área, escolham cursos de excelência com certificação verdadeira, uma certificação vinda pelo MEC e pelo Conselho Federal de Odontologia, para sim, garantir a aptidão e garantir a sua habilitação dentro da harmonização facial.

Além disso, não para por aí. Como todo dia a Harmonização orofacial cresce, todo dia nós temos que nos manter atualizados, reciclados, para que todo material, todo procedimento que apareça, possa ser estudado antes de ser aplicado efetivamente no paciente. Então, nós temos congressos, simpósios, workshop, tudo isso para participar. Então, eu convido todos os colegas a participarem disso, para que possam cada vez melhor, atender os seus pacientes.

E por falar em paciente, nós temos que lembrar do acolhimento à eles. A preservação da segurança dos pacientes deve estar em primeiro lugar. Quando a pessoa entra no nosso consultório não entra uma face, entra um corpo inteiro e uma família por trás. Então nós temos que acolher essas pessoas de forma correta, temos que ouvir as expectativas, ouvir o que ele precisa, o que ele deseja, e não o nosso olhar crítico. A beleza está nos olhos de quem vê e quem sente. E muitas vezes nosso olhar é um olhar clínico não é um olhar romântico com uma família então a família, um marido é o controle de qualidade. Então, nem tudo que a gente almeja para o paciente é o que ele deseja. Então, nós temos que acolher o paciente, ouvir, e delinear as
expectativas dele. Para isso a Odontologia em geral, não só a harmonização, deve ter com um ponto de partida, o acolhimento do paciente.

Muitas vezes, já ouvimos colegas dizer que nós somos psicólogos. Às vezes o paciente entra, senta na cadeira, conta a vida inteira, chora, e aí você olha no relógio e um tempo de consulta tá terminando, não é verdade? E é assim na harmonização. Na harmonização, os pacientes chegam com expectativas e dores, e nós temos que ouvir a dor no paciente. Qual é a sua dor? Será que a sua dor realmente é uma flacidez de pele? Será que é só dor realmente? É o nariz que tem mais riba? Qual é a dor do paciente? Temos que saber identificar isso.

Na comissão de harmonização orofacial do Conselho, nós preservamos o acolhimento ao paciente, a ética, e os procedimentos podemos fazer dentro das nossas limitações, mas preservamos o direito também que podemos ter de fazer outros procedimentos no futuro. Mas não significa que esta é a hora. Quem levantou a bandeira da cirurgia na face na Hof foi Odontologia. Mas ela tem que caminhar conforme o estatuto, conforme as normativas do Conselho Regional de Odontologia e o Conselho Federal de Odontologia.

Então esses são alguns pontos que eu gostaria de destacar nos rumos da Harmonização. Estamos vivendo um momento de grande evolução, e é importante que todos os profissionais estejam atentos às tendências, às inovações, às tecnologias que surgem constantemente na nossa área. Eu digo que nós dormimos com uma informação e acordamos com o artigo científico novo. Então, eu convido todos os colegas a estudarem artigos científicos ao invés de achismos de internet. Artigo científico tem que ser a base para uma boa formação.

Então, eu gostaria agora de parabenizar a minha colega, Doutora Thaís Galache pela posse. Desejo sucesso! Me sinto honrada por estar nesse Colégio. Quero que, cada vez mais, eu possa manter a confiança do meu período Presidente. Acredito que nós todos juntos vamos poder contribuir para o avanço da harmonização orofacial nesse país, promovendo procedimentos éticos seguros e de qualidade para os nossos pacientes, e o ensino diferenciado, o ensino baseado no código de ética, baseado na preservação do paciente. Obrigada a todos!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *